segunda-feira, dezembro 11, 2017

Qual o valor de uma ideia? Mais que slogan publicitário de um banco, essa pergunta embute um conceito poderoso. Atualmente a necessidade de fugir da comoditização faz com que as organizações orientem seus esforços de marketing, de forma incondicional, rumo à diferenciação. E são as ideias a matéria prima básica dessa diferenciação.
Aliado ao imperativo da competitividade, temos uma sociedade que se caracteriza pela ascensão do conhecimento. É fato inconteste que o principal ativo de uma corporação é seu capital intelectual acumulado, representado pela inteligência de seus colaboradores. Ter acesso a cérebros que fazem diferença contribuindo ativamente e criando valor para a organização e suas estratégias de marketing e negócios é mais importante do que ter acesso a máquinas e bens imobilizados. Temos aí a base da chamada Sociedade do Conhecimento.
Curioso observar que historicamente o ato de ter grandes ideias sempre foi uma exclusividade dos gênios de cada época. Cientistas, inventores e personalidades como Albert Einstein, Thomas Alva Edison, Benjamin Franklin, entre tantos outros, entraram para a história da humanidade por seus feitos históricos proveniente de grandes ideias.
No mundo corporativo observamos que essa mesma função ou responsabilidade sempre esteve circunscrita aos dirigentes da alta administração ou aos profissionais de áreas estritamente relacionadas ao uso intensivo da criatividade como os designers, profissionais de pesquisa e desenvolvimento (P&D), profissionais de criação em agências de publicidade e assim por diante. Era como se o ato de ter grandes ideias era privilégio – e exclusividade – da mentes brilhantes de alguns poucos iluminados.
Pois o mundo mudou (que bom)! Na sociedade atual é um diferencial competitivo de alta relevância ter colaboradores que, proativamente e consistentemente, oferecem contribuições com ideias e sugestões, independente de sua posição hierárquica.
É importante, no entanto, estar claro que apenas ter boas ideias não caracteriza-se como um diferencial competitivo na prática. É necessário instituirmos um bom sistema de execução, pois ideia boa é ideia implementada.
O país continua crescendo, as oportunidades surgem em uma quantidade e qualidade inéditas em nossa história. Mãos à obra! Vamos colocar nosso cérebro para funcionar gerando grandes ideias em prol de um crescimento sustentável. A recompensa vale a pena.

Sandro Magaldi é CEO e co-fundador do meuSucesso.com, a maior plataforma de empreendedorismo do Brasil impactando milhões de empreendedores mensalmente. É considerado um dos maiores experts em Gestão Estratégica de Vendas do país e autor do livro “Vendas 3.0: Reposicionando o vendedor, a equipe de vendas e toda a organização” definido pelo Pai do Marketing moderno Philip Kotler como “um daqueles livros que nos faz pensar”.

0 Comments

Leave a Comment

Magaldi nas redes:

INSTAGRAM

LINKEDIN

YOUTUBE

Twitter

Newsletter

Assine minha lista e receba, em primeira mão, todas as novidades que passarem por aqui!