0

A CENSURA DAS REDES

Na semana passada, foi publicado na Revista Veja um excelente artigo de Rodrigo Lemos com o título “A censura das redes”. Reproduzo abaixo um dos trechos do autor que mais me chamou a atenção:

“Essa terrível nova voz, coletiva e anônima, autoritária e caótica, imperativa e manipulável, que representa, hoje, o maior perigo às liberdades individuais – e, em primeiro lugar, à liberdade de expressão”.

Esse artigo foi motivado pelos episódios recentes de fortes reações e censura a algumas manifestações artísticas.

Só conseguiremos construir uma sociedade plural se fomentarmos o diálogo entendendo que um ponto de vista contrário ao meu é apenas isso: um ponto de vista contrário ao meu.

Eu quero ter o direito de construir meu próprio repertório de conhecimento sem a interferência ou censura de ninguém. Para isso preciso compreender até aquilo que abomino. Só assim serei um ser íntegro, pleno.

É importante estar claro que é possível eu não concordar com algum conceito, ideologia ou manifestação e ao mesmo tempo defender que ela seja apresentada. Não são fatos excludentes. A liberdade de expressão pressupõe o plural.

Ah, antes que ocorram manifestações ideológicas por aqui: esse meu post não está fazendo apologia à direita, à esquerda ou ao centro. É necessário reconhecermos que hoje estão todos no mesmo balaio de gatos no que se refere à intolerância com o adverso. É só olharmos atentamente, com isenção, ao que está acontecendo em diversas frentes.

Abaixo ao maniqueísmo, abaixo a ditadura disfarçada de proteção a grupos ideológicos, seja eles quais forem.

Viva a liberdade de opinião e reflexão!

0 Responses to “A CENSURA DAS REDES”


  • No Comments

Leave a Reply