Não quero faca nem queijo. Quero a fome

26 novembro 2013

Quem me apresentou a essa frase foi o grande amigo Romeo Busarello (um dos maiores experts do marketing, sobretudo do digital, do Brasil e um professor extraordinário).
Atualmente todos conteúdos técnicos, específicos, sobre qualquer tema estão à disposição de qualquer pessoa. Basta você querer e pode ter acesso ao conteúdo que desejar. Ou seja, acesso a conhecimento não é um diferencial como foi no passado (na minha época de estudante, o moleque que tinha uma enciclopédia em casa era “o cara”).
O que diferencia mesmo as pessoas é a motivação, o impulso, a atitude de evoluir, de buscar algo melhor para si mesmo. É essa fome que a Adélia Prado comenta nessa frase que é de uma simplicidade e valor extraordinário.
Em um mundo onde tudo está muito acessível não basta ter as ferramentas. É necessário um impulso e desejo extraordinários de ir além. Afinal, todos nós podemos e merecemos.