Uber, Embraer e o Encontro de Gerações

14 Março 2018

Há um movimento nada silencioso que ganhou destaque na edição do SXSW desse ano e que tem como protagonistas empresas como Uber e Google.

Enquanto, muitos ainda não se atentaram aos impactos dos carros autodirigidos, já está programado para 2020 os primeiros testes dos veículos aéreos para transporte individual

Olha os Jetsons aí, novamente!!

Essa notícia não é nova. No "Gestão do Amanhã" obra que escrevi com José Salibi Neto e que já está disponível à venda, já mencionamos esse caso dando ênfase para uma parceria pouco convencional entre Uber e Embraer.

Não é a única parceria do Uber com empresas aéreas que está investindo em aproximações desse tipo pelo mundo para viabilizar esse projeto revolucionário.

O que quero chamar atenção é para uma tese que chamo de "encontro das gerações".

Minha visão, e nossas pesquisas corroboram essa tese, é que um dos caminhos virtuosos para o desenvolvimento de soluções inovadoras é aliar o conhecimento e experiência das companhias tradicionais com a volúpia e pensamento disruptivos  das novas organizações.

A mistura desses dois conhecimentos tem um potencial explosivo e não se restringe às empresas. Deve ser adotado por líderes tradicionais e novos.

Afinal, as mentorias são um dos movimentos mais impactantes de todo processo de evolução das startups e seus líderes.

Para viabilizar esse encontro é mandatório que as partes exercitem muita humildade para que a abertura necessária em todo processo se viabilize e ambos substituam a inflexibilidade do "sabe tudo" pela flexibilidade da convicção que "está tudo em aberto".

O tema é abrangente e tem muitos desdobramentos apresentados no livro, porém reforço essa referência: unir o tradicional ao novo é um dos movimentos mais promissores na construção de novos modelos mais adaptados aos tempos atuais e para isso é requerida muita abertura e humildade.

Que venham outras parcerias como essa!!